Fitoenergético

A SAÚDE EM SUAS MÃOS

  • Faça seu tratamento de Saúde com Plantas Medicinais

    Agora no Brasil sistema inédito de tratamento profissional de sua saúde com ervas medicinais.
  • *

  • Acesse nosso Site e confira como milhares de pessoas estão se beneficiando-se deste fantástico método. Entregamos para todo território Nacional.
  • Acesse nosso Site

    www.chamedicinal.com.br
  • O Site da Saúde !

  • *

  • Traduza Translate Traduzca Traduca Verschiebt переведите Traduisez μεταφράστε
  • div align="center"> Translate this weblog
    02bandeira-eua01bandeira-ingla

    By
  • ********* Acesse e confira *********


    ******** Como milhares de pessoas estão se beneficinando desta fastástica técnica*********

  • AVC – Plantas Medicinais

    Posted by fitoenergetico em 08/04/2008

    O acidente vascular cerebral (AVC), ou Acidente vascular encefálico (AVE), vulgarmente chamado de “derrame cerebral”, é caracterizado pela interrupção da irrigação sanguínea das estruturas do encéfalo, ou seja, ocorre quando o sangue que sustenta o cérebro com oxigênio e glicose deixa de atingir a região, ocasionando a perda da funcionalidade dos neurônios.

    É uma   doença de início súbito, que pode ocorrer por dois motivos: isquemia ou hemorragia.  

    Tipos

    • O primeiro tipo, e o mais comum deles, é devido à falta de irrigação sanguínea   num determinado território  cerebral , causando morte de tecido cerebral – é o AVC isquêmico.

    • AVC Isquemico transitório – clinicamente, corresponde a uma isquemia passageira que não chega a constituir uma lesão. É um episódio súbito de déficit sanguineo com manifestações neurológicas, que se recuperam em minutos ou em 24 horas. Constitui um fatora de risco muito importante, devendo ser considerado importante prevenção de isquemias severas.

    • O AVC hemorrágico é menos comum, mas não menos grave, e ocorre pela ruptura de um vaso  sabguíneo  intracraniano, levando à formação de um coágulo  que afeta determinada função cerebral.

     

    Reabilitação

    O processo de reabilitação pode ser mais ou menos longo, dependendo das características do próprio AVC, da região afectada e do apoio que o doente tiver.

    Conseqüências

    As conseqüências do AVC podem afetar diversos aspectos do paciente, tais como paralisia e fraqueza, habilidades de comunicação, fala, capacidade de compreensão, sentidos, além de raciocínio, emoções e memória.

     

    Fatores de risco para AVC

    Existem diversos fatores considerados de risco para a chance de ter um AVC, sendo o principal a  hipertensão arterial sistêmica não controlada e, além dela, também aumentam a possibilidade o diabete melitus, doenças reumatológicas,  trombose, uma arritmia  cardíaca chamada  fribrilação artrial, estenose da válvula mitral, entre outras.

     

    Principais fatores de risco

    • Hipertensão arterial : é o principal fator de risco para AVC. Na população, o valor médio é de “12 por 8”; porém, cada pessoa tem um valor de pressão, que deve ser determinado pelo seu médico. Para estabelecê-lo, são necessárias algumas medidas para que se determine o valor médio. Quando este valor estiver acima do normal daquela pessoa, tem-se a hipertensão arterial. Tanto a pressão elevada quanto a baixa são prejudiciais; a melhor solução é a prevenção! Deve-se entender que qualquer um pode se tornar hipertenso. “Não é porque mediu uma vez, estava boa e nunca mais tem que se preocupar”! Além disso, existem muitas pessoas que tomam corretamente a medicação determinada porém uma só caixa! A pressão está boa e, então, cessam a medicação. Ora, a pressão está boa justamente porque está seguindo o tratamento! Geralmente, é preciso cuidar-se sempre, para que ela não suba inesperadamente. A hipertensão arterial acelera o processo de aterosclerose, além de poder levar a uma ruptura de um vaso sangüíneo ou a uma isquemia.

    • Doença Cardíaca : qualquer doença cardíaca, em especial as que produzem arritmias, podem determinar um AVC. “Se o coração não bater direito”; vai ocorrer uma dificuldade para o sangue alcançar o cérebro, além dos outros órgãos, podendo levar a uma isquemia. As principais situações em que isto pode ocorrer são arritmias, infarto do miocárdio, doença de Chagas, problemas nas válvulas, etc.

    • Colesterol : o colesterol é uma substância existente em todo o nosso corpo, presente nas gorduras animais; ele é produzido principalmente no fígado e adquirido através da dieta rica em gorduras. Seus níveis alterados, especialmente a elevação da fração LDL (mau colesterol, presente nas gorduras saturadas, ou seja, aquelas de origem animal, como carnes, gema de ovo etc.) ou a redução da fração HDL (bom colesterol) estão relacionados à formação das placas de aterosclerose.

    • Tabagismo : O hábito é prejudicial à saúde em todos os aspectos, principalmente naquelas pessoas que já têm outros fatores de risco. O fumo acelera o processo de aterosclerose, diminui a oxigenação do sangue e aumenta o risco de hipertensão arterial.

    • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas : quando isso ocorre por muito tempo, os níveis de colesterol se elevam; além disso, a pessoa tem maior propensão à hipertensão arterial.

    • Diabetes : é uma doença em que o nível de açúcar (glicose) no sangue está elevado. A medida da glicose no sangue é o exame de glicemia. Se um portador desta doença tiver sua glicemia controlada, tem AVC menos grave do que aquele que não o controla.

    • Idade : quanto mais idosa uma pessoa, maior a sua probabilidade de ter um AVC. Isso não impede que uma pessoa jovem possa ter.

    • Sexo: até aproximadamente 50 anos de idade os homens têm maior propensão do que as mulheres; depois desta idade, o risco praticamente se iguala.

    • Obesidade : aumenta o risco de diabetes, de hipertensão arterial e de aterosclerose; assim, indiretamente, aumenta o risco de AVC.

    • Anticoncepcionais hormonais : Atualmente acredita-se que as pílulas com baixo teor hormonal, em mulheres que não fumam e não tenham outros fatores de risco, não aumentem, significativamente, a ocorrência de AVC.

     Sinais que precedem um Derrame

    • Dor de cabeça intensa e súbita e intensa sem causa aparente

    • Dormência nos braços e nas pernas

    • Dificuldade de falar e perda de equilíbrio são os principais sintomas da doença.

    • Diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna do lado esquerdo ou direito do corpo

    • Alteração súbita da sensibilidade, com sensação de formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo

    • Perda súbita de visão em um olho ou nos dois

    • Alteração aguda da fala, incluindo dificuldade para articular e expressar palavras ou para compreender a linguagem

    • Instabilidade, vertigem súbita e intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos

    A busca de socorro imediato é vital.

    Como identificar o acidente vascular Cerebral

    Primeiro, Peça que a pessoa sorria. Se ela mover sua face só para um dos lado, leve-a a um hospital. Ela pode estar tendo um AVC.

    • Diga a ela que levante os braços. Caso ela tenha dificuldades para levantar um deles ou, após levantar os dois, um deles caia, procure socorro médico.

    • Dê uma ordem ou peça que a pessoa repita alguma frase. Se ela não responder ao pedido, pode estar sofrendo um derrame cerebral.

    • Leve-a a um hospital imediatamente para atendimento médico.

    • www.chamedicinal.com.br

    Deixe uma resposta

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s

     
    %d blogueiros gostam disto: